Link de exemplo

Voltar para Notícias

Tutela Coletiva e Cível

Abaixo-assinado na Internet sobre enterros de indigentes com RG tem mais de 30 mil adesões

Petição eletrônica foi criada por filha de vítima e já conta com mais de 5 mil adesões

Mais de 31,5 mil pessoas já aderiram ao abaixo-assinado eletrônico sobre enterros de indigentes com RG. A descoberta do Ministério Público de São Paulo, por intermédio do Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID), de que 3 mil pessoas foram enterradas pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO), ligado à Universidade de São Paulo (USP), como indigentes em São Paulo, mesmo portando RG, e, portanto, com condições de serem identificadas, levou Maria Cecília Leão, filha de uma vítima que passou por essa situação, a criar uma petição eletrônica, por meio da Organização Change.org - maior plataforma de abaixo-assinados do mundo- a criar um requerimento pela Internet para pressionar as autoridades a mudarem o sistema adotado pelo SVO.

Leia abaixo a íntegra da mensagem sobre o abaixo assinado criado por meio da Change.org:

“Não vamos deixar que pessoas identificadas continuem a ser enterradas como indigentes. Me ajude a mudar isso, assine para que o governo seja obrigado a avisar as famílias!
Eu perdi meu pai e descobri quase um mês depois que ele havia sido enterrado como indigente. Ele não teve direito a um funeral nem a um sepultamento digno. Eu não fui avisada por nenhum dos órgãos públicos responsáveis - SVO, IML, hospital - que ele seria enterrado deste jeito. E isso aconteceu comigo, mas também com 3.000 pessoas no Estado de São Paulo nos últimos anos. Mas nós podemos mudar isso.
Assine a petição que eu iniciei na Change.org
Vamos pressionar o SVO (Serviço de Verificação de Óbitos da Capital) e o governo de São Paulo a não enterrar mais ninguém que tenha identificação como indigente, e obrigar estes órgãos a avisar as famílias sempre que o falecido estiver identificado.
Além da obrigação de entrar em contato, também é importante que seja criado um banco de dados integrado entre o IML, a Polícia Civil e o SVO para que famílias que procurem em um dos órgãos recebam resposta imediata se o corpo do falecido estiver em outro local. Ninguém ligou para mim, mesmo o meu pai estando com identificação. Ajude a pressionar o SVO e o governo para que ninguém mais identificado seja enterrado como indigente. Eu moro na Zona Sul de São Paulo, sou mãe e sei da dor que é perder um parente. Procurei meu pai, assim como centenas de outras pessoas procuram e não conseguem resposta. Para que isso não aconteça mais, preciso do seu apoio. Maria Cecília”.

Apoie esta causa. Assine aqui: www.change.org/indigentes.