Link de exemplo

Voltar para Notícias

Tutela Coletiva e Cível

MEMORIAL MPSP grava depoimento do ex-Procurador-Geral Cláudio Alvarenga

Video integrará acervo da história da instituição

O MEMORIAL MPSP gravou, nessa quinta-feira (10/7), entrevista com o ex-Procurador-Geral de Justiça Cláudio Ferraz de Alvarenga, que comandou o Ministério Público do Estado de São Paulo de 1987 a 1990.

“O Promotor tem que ter olhos na realidade, mãos no trabalho e coração no céu”

No depoimento, de mais de duas horas, Cláudio Alvarenga falou de sua gestão, que coincidiu com a promulgação da Constituição de 1988, responsável pelo perfil atual do Ministério Público. Relembrou os tempos de Promotor de Justiça em Queluz, Pacaembu, Andradina e na capital; e abordou questões relativas ao seu mandato como Presidente da Associação Paulista do MP, à sua experiência como Secretário de Governo entre 1990 e 1993, no governo de Luiz Antonio Fleury Filho; e como membro do Tribunal de Contas do Estado, onde se aposentou em outubro de 2012.

“O Promotor de Justiça tem que ter pés no chão, olhos na realidade, mãos no trabalho e coração no céu”, afirmou Cláudio Alvarenga no depoimento que passará a integrar o acervo do Memorial MPSP, inaugurado em dezembro de 2013.

Alvarenga é o oitavo ex-Procurador-Geral de Justiça de São Paulo a gravar depoimento para o Memorial, que já colheu entrevistas de José Geraldo Brito Filomeno, Antonio Araldo Dal Pozzo, José Emmanuel Burle Filho, Luiz Antonio Guimarães Marrey, Oscar Xavier de Freitas, Paulo Salvador Frontini e Rodrigo César Rebello Pinho.

O objetivo é constituir um acervo com depoimentos de pessoas importantes na história do Ministério Público do Estado de São Paulo. Também já gravaram entrevista Zuleika Sucupira Kenworthy, a primeira mulher Promotora de Justiça no Brasil; a ex-Promotora de Justiça Luiza Galvão Lopes da Silva, a primeira mulher a se tornar desembargadora no Estado de São Paulo; os membros da instituição, hoje aposentados, Antonio Visconti, Darcy Paulillo dos Passos, Hélio Bicudo e Julio Francisco dos Reis; o Promotor aposentado Plínio de Arruda Sampaio, falecido na última terça-feira (8/7) e o poeta Paulo Bonfim.