Link de exemplo

Voltar para Notícias

Tutela Coletiva e Cível

MP reedita projeto “Cuidador saudável” em Areiópolis e São Manuel

Objetivo é identificar e trabalhar deficiências emocionais dos profissionais que atuam com crianças

O Ministério Público realizou, no dia 28 de março, mais uma edição do projeto “Cuidador Saudável”, que busca identificar e trabalhar as deficiências emocionais desses profissionais que atuam diretamente com crianças e adolescentes, institucionalizados ou não. Essa nova etapa do projeto foi realizada na Escola Municipal de Areiópolis e envolveu cerca de 30 pessoas dos municípios de Areiópolis e São Manuel.

A primeira etapa do “Cuidador Saudável” foi realizada em agosto de 2013 em Jarinu, por iniciativa da Promotora de Justiça Julisa Helena Nascimento de Paula, responsável também pela reedição em Areiópolis.

Participantes do Projeto 'Cuidador Saudável' assistem palestra

O projeto, explica a Promotora, é resultado de estudos da psicologia na área de Análise Transacional, que apontaram que “alguém só é capaz de cuidar de outra pessoa se souber cuidar de si próprio e tiver autorrespeito”. O estudo diz ainda que o profissional saudável emocionalmente não transfere suas carências nem deficiências para aquele que está sob seus cuidados, e que ele se torna capar de gerar estímulos positivos de afeto e desenvolvimento, tanto para si como para aquele que será cuidado por ele.

A Análise Transacional é aplicada no projeto pela Psicóloga Sueli Vicentin Repulho, segundo a qual a técnica utilizada para terapia individual ou em grupos está sendo pioneiramente aplicada no gerenciamento das emoções do ser humano, em grupos de pessoas que trabalham na linha de frente dos serviços públicos ligados à realização e efetivação de políticas públicas nas áreas da Assistência Social e Infância e Juventude. “É o que chamamos de capacitação emocional, cujo objetivo é ensinar aos ‘cuidadores’ da sociedade, os funcionários públicos, a se cuidarem, para que desse modo possam cuidar dignamente da população”, explica.

Participaram do Projeto membros do Conselho Tutelar, do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), do Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente (CMDCA), da Associação de Pais e Alunos Excepcionais (APAE) e diretores de escolas de Areiópolis e de São Manuel.