Link de exemplo

Voltar para Notícias

Criminal

MP-SP adere à campanha de combate ao turismo sexual durante a Copa

Campanha conta com um Manifesto para colher assinaturas

O Brasil é o segundo principal destino de turismo sexual no mundo, ficando atrás apenas da Tailândia. Com a expectativa de chegada de 600 mil turistas durante a Copa do Mundo de 2014, organizações internacionais têm se unido no combate à exploração sexual durante o evento, e o Ministério Público do Estado de São Paulo integra esta luta.

No último dia 27, o MP-SP aderiu à campanha “Diga Não ao Turismo Sexual: Comprar sexo não é um esporte!”, idealizado pela Coalizão Regional Contra o Tráfico de Mulheres e Meninas na América Latina e no Caribe (CATWLAC, sigla em Inglês).

A Promotora Eliana Vendramini, Teresa Ulloa Ziaurriz, e as as Promotoras de Justiça Maria Gabriela do Prado Mansur e Fabíola Moran

A adesão se deu após contato da Diretora Regional para América Latina e Caribe da CATWLAC, Teresa Ulloa Ziaurriz, com as Promotoras de Justiça Maria Gabriela do Prado Mansur, do Grupo de Enfrentamento à Violência Doméstica – Núcleo Taboão da Serra; Fabíola Moran, da Promotoria da Infância e Juventude da Capital; e Eliana Vendramini, coordenadora do PLID - Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos.

Para Maria Gabriela Mansur, 'o Brasil não pode ser visto como o país do turismo sexual, temos que mostrar aos estrangeiros que aqui as mulheres de todas as idades são respeitadas e que há ações das autoridades locais para coibir abuso sexual, não só em época de Copa, mas sempre'.

A campanha foi lançada em 8 de março deste ano e tem como objetivo desestimular a demanda dos consumidores por serviços sexuais na Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas de 2016, que será realizada no Rio de Janeiro, Brasil.

A campanha conta com um Manifesto para colher assinaturas e um acordo com companhias aéreas que voam para o Brasil para incluir o cartão vermelho em todos os voos que dizem que o turismo sexual é um crime punível com pena de prisão em seus países de origem e no Brasil.

Para apoiar a campanha, você pode entrar aqui.