Link de exemplo

Voltar para Notícias

Criminal

MP-SP participa de Seminário na FGV sobre Segurança Pública e Controle da Corrupção

O Ministério Público do Estado de São Paulo participou, na tarde desta sexta-feira (14/11), do Seminário 'Segurança Pública, Inteligência de Estado e Controle da Corrupção', promovido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), em parceria com a Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas, realizado Escola de Administração de Empresas de São Paulo/FGV. O Subprocurador-Geral de Relações Externas, Arnaldo Hossepian Salles Lima Junior, foi um dos expositores.

Subprocurador-Geral de Relações Externas, Arnaldo Hossepian (ao centro): um dos expositores do seminário
Subprocurador-Geral de Relações Externas, Arnaldo Hossepian (ao centro): um dos expositores do seminário


O seminário teve como objetivo debater os mecanismos de cooperação e articulação no campo da segurança pública e controle da corrupção, com enfoque especial nos papéis desempenhados pelo Ministério Público, Tribunal de Contas da União, Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), Polícia Federal, Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) e Controladoria Geral do Município.

A proposta foi discutir como os órgãos de inteligência de Estado podem contribuir para o controle do crime e da corrupção no Brasil, à luz dos números apresentados na edição 2014 do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, lançado esta semana. O documento inclui o relatório Índice de Confiança na Justiça do Brasil, no qual o Ministério Público aparece em terceiro lugar entre as instituições brasileiras mais confiáveis para a sociedade, atrás somente das Forças Armadas e da Igreja Católica.

No seminário, o Subprocurador-Geral de Relações Externas, Arnaldo Hossepian, falou sobre a atuação do Ministério Público do Estado de São Paulo no combate ao crime e à corrupção, bem como a atuação firme na área da improbidade administrativa. Também falou sobre a preocupação da Procuradoria-Geral de Justiça em diagnosticar, por meio do Plano Geral de Atuação 2014, os problemas mais graves, em cada uma das regiões do Estado, propondo soluções acordadas com os poderes públicos, tudo em prol da construção de um ambiente de convivência mais saudável, contribuindo para a melhor qualidade de vida e, por consequência, a diminuição da criminalidade.

Também participaram do evento Roberto Biasoli, do DRCI; Roberto Troncon Filho, da Polícia Federal; Egbert Nascimento Buarque, do TCU; Antonio Carlos Ferreira de Souza, do COAF. E Fabiano Angélico, da CGM-SP.