Link de exemplo

Voltar para Notícias

Criminal

TJ acolhe recurso do MP e aumenta pena de homem que tentou roubar armas de Fórum

O Tribunal de Justiça deu provimento a recurso do Ministério Público e aumentou para 20 anos de reclusão a pena aplicada a A.R.M. pelo crime de latrocínio tentado, com quatro vítimas, crime ocorrido em novembro de 2011, quando o acusado tentou roubar armas de fogo que estavam guardadas no Fórum de Mogi das Cruzes.

A.R.M. entrou no Fórum durante o horário do expediente, carregando duas mochilas com um pé de cabra, uma chave de fenda e um revólver calibre 38. Como já havia trabalho no Fórum como ajudante-geral, conseguiu entrar sem ter a mochila revistada.

Escondeu-se no banheiro até o final do expediente e, quando acreditou não haver mais funcionários no prédio, rumou para o refeitório e rendeu o vigilante, à procura das chaves do prédio.

O homem, porém, foi surpreendido por uma psicóloga que deixava a sua sala de trabalho. Ele atirou na mulher, atingindo-a no braço. Mesmo ferida, a psicóloga conseguiu voltar à sala, onde se trancou e chamou a polícia.

A.R.M. tentou fazer com que ela abrisse a porta, passando a fazer ameaças e ao vigilante. Então atirou várias vezes contra o vigilante, atingindo-lhe na mão, no braço e na perna, e subtraiu dele o molho de chaves do Fórum, mas como eram muitas chaves, percebeu que não conseguiria realizar o roubo e tentou fugir do local. Ele acabou detido por dois Policiais Militares contra quem atirou. Os PMs revidaram e A.R.M. foi atingido na mão e dominado.

Denunciado pela Promotoria de Justiça de Mogi das Cruzes, o réu foi condenado à pena de 11 anos e 2 meses de reclusão, mas o MP recorreu da sentença e no dia 15 de maio a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça deu provimento ao recurso, elevando a pena para 20 anos de reclusão, no regime inicial fechado.

O julgamento teve como relator o Desembargador Maurício Valala. Também participaram os Desembargadores Salles Abreu e Euvaldo Chaib. Atuou perante o Tribunal de Justiça a Procuradora de Justiça Marina Pedranzini.