Link de exemplo

Voltar para Notícias

Ícone da categoria criminal
Criminal

MP obtém condenação à prisão de 4 policiais civis que sequestraram ônibus de “sacoleiros”

Agentes exigiam R$ 100 mil para liberar os passageiros e os produtos contrabandeados

O Ministério Público do Estado de São Paulo obteve sentença judicial condenando quatro policiais civis da capital a 10 anos e 10 meses de prisão, cada um, pelo sequestro de dois ônibus cujos passageiros retornavam de uma viagem de compras no Paraguai. Eles exigiam o pagamento de R$ 100 mil para que os passageiros não fossem levados à Delegacia, onde seriam indiciados por descaminho (contrabando).

Foram condenados os policiais Valmir Carvalho Leite, Marcelo Garcia Bilhordes, José Vandir Ferreira e Carlos Benedito Felice Junior. A sentença, prolatada na última quarta-feira (7) também declarou a perda dos cargos públicos dos quatro acusados.

Os policiais foram denunciados em outubro de 2010 pelos Promotores de Justiça Fábio Meneguelo Sakamoto, Fernando A. Soares de Souza, Luciana Frugiuele
e Carlos Roberto Marangoni Talarico, do Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (GECEP), pelo crime praticado em 28 de junho daquele ano.

De acordo com a denúncia, Valmir Carvalho Leite, à época lotado na 1ª Delegacia de Propriedade Material, recebeu a informação de que dois ônibus, carregados de produtos contrabandeados do Paraguai, chegariam horas depois à Capital. Mesmo de férias, ele, em companhia dos outros três policiais que atuavam na 2ª Delegacia de Crimes contra a Fé Pública, interceptou os veículos na Marginal do Tietê.

Os ônibus foram levados até as imediações do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), na zona norte da capital, onde mantiveram os passageiros como reféns durante cinco horas, exigindo o pagamento de R$ 100 mil para a liberação das mercadorias contrabandeadas e dos passageiros. Nesse período, somente foram liberados um motorista, que passou mal, e uma mulher que estava com uma criança.

Como os passageiros se recusaram a pagar a quantia exigida, foram apresentados na sede da Superintendência da Polícia Federal. Os quatro policiais imputaram aos passageiros dos ônibus o crime de descaminho, mas durante o depoimento, parte dos passageiros relatou à Delegada da PF que estava sendo vítima de extorsão. A Polícia Federal, então, acionou a Corregedoria da Polícia Civil.

O policial Valmir Carvalho Leite já vinha sendo investigado por notícias de extorsão a comerciantes da “Feirinha da Madrugada” e vários telefonemas feitos e recebidos por ele sobre o sequestro dos ônibus foram gravados em interceptação telefônica autorizada pela Justiça.

Os quatro policiais condenados terão de cumprir a pena em regime inicial fechado. Eles poderão recorrer em liberdade.